Siga o observatório nas redes socias!!!

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

O processo de industrialização brasileiro

O processo de industrialização brasileira até o século XIX, caracterizou-se pela sua feição essencialmente artesanal, limitando-se a alguns produtos ligados à cultura canavieira, à mineração (fundições), tecidos e olaria, entre outros. O desenvolvimento industrial esbarrou na falta de uma infraestrutura adequada: capital, mão-de-obra, equipamentos e tecnologia, sistema de transportes e mercado de consumo. Tais fatores, por sua vez, demandaram um processo gradativo de implantação, até que pudessem atender às necessidades do parque industrial.

Indústria no século XIX – Brasil.

Outro ponto indispensável nesse processo foi a influência exercida pelas crises econômicas mundiais, geradas, principalmente, pelos dois maiores conflitos, representados pela Primeira Guerra Mundial (1914/1918) e pela Segunda Guerra (1939/1945). Tais crises foram reforçadas por períodos de recessão, como o que se verificou em 1929/1930.
Como consequência das crises citadas anteriormente, a necessidade de desenvolvimento do parque industrial interno, para suprir às dificuldades ou impossibilidade de importação principalmente de manufaturados.
Np processo experimentado pela industrialização em nosso país, distinguem-se duas etapas bem definidas:
1ª Etapa- Entre 1850 e 1930
A industrialização sofreu influência das transformações socioeconômicas, destacando-se a abolição da escravatura e a entrada de imigrantes. O ciclo do café, por sua vez, possibilitou a acumulação de capitais, gerando divisas indispensáveis
à importação de equipamentos, uma vez que o processo industrial se apoiou basicamente na substituição de importações (bens de consumo).
2ª Etapa- Após 1930
Até a década de 30, o Brasil apresentava uma economia caracterizadamente agrícola. A partir de então, à medida que a produção industrial crescia, a atividade industrial perdia o seu caráter oscilante, com períodos de maior ou menor crescimento, determinados, principalmente, pelas crises econômicas mundiais.

Referencia

Rolim, Maria Augusta Geografia, 2. Grau/Maria Augusta Rolim, Francisco Liberato Povoa, Rosana Fenandes Bittermann, 1º edição Belo Horizonte  mg

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.