Siga o observatório nas redes socias!!!

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Castelos Medievais -conheça mais sobre eles.

Langeais

Langeais

É um castelo do departamento de Indre-et-Loire, na França. Foi construído sobre um promontório rochoso criado pelo pequeno vale do rio Roumer, na abertura do Vale do Loire. Apesar de parecer escuro e ameaçador, as salas no seu interior são ricamente decoradas.

O Castelo de Langeais está classificado como Monumento Nacional desde Março de 1922 O Castelo de Langeais foi originalmente construído como uma fortaleza, no século X, por Foulques Nerra de Anjou. Aquele Conde de Anjou empreendeu a construção de numerosas obras de defesa durante o seu reinado, entre as quais se encontram o primitivo Castelo de Langeais.

Chantilly

Chantilly 
Chantilly não é somente um belo castelo, mas também um excelente museu. Ao contrário dos castelos do Vale do Loire, quase todos vazios ou pouco mobiliados, Chantilly possui importante acervo. Sua coleção de pinturas – chamada Museu Condé – o classifica como segundo museu francês de pinturas antigas após o Louvre. Poucos museus franceses possuem três Raphaël, três Fra Angelico, quatro Watteau, cinco Ingres, três Delacroix… A biblioteca e os arquivos de Chantilly possuem ricas coleções de obras e documentos colecionadas durante séculos pelos nobres de Chantilly, membros das famílias Montmotency e Bourbon-Condé.

Ussé

Ussé
Castelo de Ussé (em francês, "Château d'Ussé") é um palácio do Loire situado na comuna de Rigny-Ussé, departamento de Indre-et-Loire, a sudoeste de Paris.
Em posição dominante sobre o rio Indre, foi erguido em 1642 com a primitiva função de fortaleza. Posteriormente foi reformado, passando a ser ornado por torres e janelas. Actualmente encontra-se em bom estado de conservação.
Afirma-se que este belo palácio inspirou Charles Perrault (1628-1703) a escrever o famoso conto A Bela Adormecida.

Chenonceaux

Chenonceaux

O castelo também é conhecido como Castelo das Sete Damas e fica na região do rio Loire, a sul de Chambord. O primeiro castelo foi construído no local de um antigo moinho sobre o rio Cher no século XI.O edifício original foi incendiado em 1411. Thomas Bohier, Camareiro do Rei Carlos VIII de França, só conservou a torre de menagem quando fez uma residência inteiramente nova entre 1515 e 1521. Chenonceaux hospedou a nobreza francesa, incluindo o rei Francisco I de França. Mas o filho entregou-o em pagamento de dívidas ao mesmo.
Diane de Poitiers, favorita do rei Henrique II, mandou construir a ponte arcada, juntando o palácio à margem oposta. Em 1560, as primeiras exibições de fogo de artifício alguma vez vistas em França tiveram lugar em Chenonceaux, na celebração da ascensão de Francisco II ao trono.
O castelo só não foi destruído pela Revolução Francesa porque era essencial enquanto ponte e a proprietária era cúmplice de vários ideólogos anti-cristãos.
A família Menier, famosa pelos seus chocolates, comprou o palácio no século XX, restaurando-o e mantendo a posse. 

Sully-sur-Loire

Sully-sur-Loire
Sobre o rio Loire, foi mencionado por vez primeira em 1102. Ao longo dos séculos só pertenceu a três famílias : a dos senhores de Sully, a de la Trémouille, e a de Béthune.En 1218, Philippe Augusto fiz construir a torre principal. Em 1396, Guy de la Trémouille iniciou o castelo atual. Em 1602 foi adquirido por Maximilien de Béthune, o grande Sully, primeiro duque desse nome.
Louis XIV refugiou-se nele em março de 1652 durante a Fronde. Em 1715, acolheu Voltaire procurado em Paris por atos delitivos múltiplos. O castelo ficou com a família dos duques de Sully ate 1962. O governo comprou-o e iniciou restauros.

Rochers-Sévigné

Rochers-Sévigné
Antiga residência bretã da Madame de Sévigné, é um palácio rural gótico do século XV, nas proximidades de Vitré. Possui uma capela octogonal, construída pela Marquesa em 1671, cavalariças e uma ala de serviço acrescentada no século XVIII.O jardim à francesa foi criado em 1689 e restaurado em 1982. Madame de Sévigné, possuidora de vários domínios, permaneceu por longos periodos no Château des Rochers. Nesta propriedade escreveu um grande número das famosas cartas endereçadas à sua filha.
A propriedade ainda pertence aos descendentes distantes dos Sévigné. Pode visitar-se a capela e um parte do palácio, onde há retratos da família e alguns objetos da Marquesa.

Roquetaillade

Roquetaillade
Palácio em Mazères, na Gironda. É formado por duas fortificações, uma do século XI e outra do século XIV.O castelo encontra-se na posse da mesma família desde há 700 anos. A primeira menção a uma fortificação em Roquetaillade é de 778. Carlos Magno, a caminho dos Pirinéus reagrupou seu exército em Roquetaillade e construiu o primeiro monte castrejo fortificado, em madeira. Em 1306, o Cardeal de la Mothe, sobrinho do Papa Clemente V, construiu uma segunda fortaleza: o Château “Neuf” de Roquetaillade, de planta quadrada com cinco torres e uma torre de menagem central.
O castelo nada sofreu durante a Guerra dos Cem Anos e nas guerras de religião. Só na Revolução Francesa torpes bandos vindos de Bordéus tentaram demoli-lo. O Marquês de Lansac acolheu-os no lugar, dobrou o seu soldo e convidou-os a descer à cave do palácio para provar o vinho. Os sem-vergonhas revolucionários acabaram desistindo.
Cerca de 1850 a família proprietária recorreu ao mais célebre arquiteto francês, Viollet-le-Duc que passou 20 anos para restaurar o palácio e a decoração interior, única na França.

Suze-la-Rousse

Suze-la-Rousse
Castelo forte feudal do século XI e residência senhorial renascentista do século XVI, no Drôme. Actualmente abriga uma “Universidade do Vinho”, entidade privada dedicada ao ensino da enologia.O lugar foi ocupado desde a época galo-romana. Em 793, o Imperador Carlos Magno doou as terras a seu primo Guillaume de Gellone (Guillaume au court nez).
Bertrand I des Baux mandou contruir um castelo forte militar incrustado na rocha ocre, dotado de gigantescas muralhas, profundos fossos, ponte levadiça, ameias e de um poço de 34 metros. Em 1551, o Bispo de Orange mandou construir um notável pátio de honra renascentista.
Nos séculos XVI, XVII e XVIII, a família de Baume-Suze embelezou o castelo de forma sumptuosa. Porém, durante a Revolução Francesa o castelo foi torpemente saqueado. Os nobres herdeiros legaram o castelo a uma associação caritativa, a Fundação dos Orphelins Apprentis d’Auteuil.

Talcy

Talcy
No Vale do Loire, foi encomendado em 1520 por Bernardo Salviati, banqueiro florentino ligado com a família Médici.No castelo existe a “chambre de la Médicis”, onde Catarina de Medici e o seu filho Carlos IX planearam o Massacre do dia de São Bartolomeu, a 28 e 29 de Junho de 1572, que significou um forte freio ao incêndio huguenote.

Carcassonne

Carcassonne 





Suas origens remotas vêm dos tempos dos Celtas, Galo-romanos e Visigodos.Na Idade Média foi construído o imponente conjunto de fortificações, com dupla linha de muralhas, que representa o ápice da engenharia militar do século XIII. O traçado irregular das ruas estreitas contrasta com a magnificência das muralhas.
O atual castelo foi construído por ordem de São Luís IX e é guarnecido por 59 torres e barbacãs, poternas e portas.
Foi restaurado no século XIX por Violet-le-Duc.




Imagens:CastelosMedievais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.