Siga o observatório nas redes socias!!!

domingo, 20 de dezembro de 2015

ORIGEM DO NATAL E O SIGNIFICADO DA COMEMORAÇÃO

Determinar qual a real origem do natal não é algo tão simples como se acha, pois, por muito tempo não havia sido definida uma data para comemorar o nascimento de cristo. Neste artigo, buscaremos compreender como se originou a comemoração natalina através da ótica religiosa e histórica.

Boa leitura!

O NATAL NA ANTIGUIDADE


Na antiguidade, o Natal era comemorado em várias civilizações, obviamente que não apresentava a mesma conotação que conhecemos hoje, mas que aos poucos ela foi adquirindo as características que a tornou uma das principais comemorações cristãs do mundo.
Acredita-se que o dia 25 de dezembro tenha sido estabelecido no século IV e que nesta época, comemoravam-se outras festas como, por exemplo, o Zagmuk na Mesopotâmia, e comemorações envolvendo do “Sol” na Roma Antiga entre outras.  Acredita-se ainda que estas festividades envolviam o encerramento de um ciclo e inicio de outro acrescentando neste contexto outros valores que dependendo da festividade se aproximava do nosso conhecido “espírito natalino”.
Esta complicação em torno de uma data especifica para comemorar o nascimento de Jesus Cristo, considerado pelos cristãos como o filho de Deus se dá pelo fato de não haver nenhuma menção na bíblia sobre um dia especifico.

“Durante muitos séculos, as igrejas cristãs não costumavam comemorar o nascimento de Cristo devido às distorções históricas com relação à data exata de sua aparição. Apesar de todas reconhecerem que a pequena cidade de Belém, em Jerusalém, foi o palco do aparecimento de Cristo na Terra, as informações sobre o dia e o ano em que isso ocorreu são desencontradas, mesmo porque os relatos descritos no Novo Testamento não especificam datas. Por causa disso, a maior festividade da época era a Páscoa, comemorada pelas instituições cristãs como referência à Ressurreição de Jesus.”(site Pe. Reginaldo Manzotti).

O NATAL DE HOJE

O natal que conhecemos hoje, já consolidado no calendário Ocidental disputa seu real significado com elementos capitalistas que foram incorporados juntos as tradições cristãs e acabaram por desvirtuar sua verdadeira natureza.



O elemento principal que “rouba” um pouco a atenção para si, é a introdução do Papai Noel como símbolo natalino. Alguns estudiosos afirmam que esta figura foi inspirada num bispo Turco chamado de Nicolau,que costumava ajudar os pobres, mais tarde ele foi considerado santo pela Igreja Católica. A imagem de (São Nicolau) associada ao natal correu o mundo e  em cada País ficou conhecido por ser o velhinho que distribui presentes na véspera do Natal. A figura do Papai Noel, já está completamente ligada ao consumismo esperado para este período do ano.
Sua explosão de popularidade se deu quando o bom velhinho foi usado em uma campanha publicitária de um famoso refrigerante.

Outros elementos foram incorporados ao Natal e contribuiu para deixá-lo com um aspecto muito mais decorativo do que reflexivo. Não é preciso enumerar os vários itens que praticamente não fazem nenhuma referência ao nascimento de Cristo. Para não parecermos radicais demais podemos citar o presépio.

Por fim, podemos concluir este pequeno artigo sobre o natal,  fazendo algumas reflexões:
  1.  A primeira delas remete ao distanciamento da atmosfera religiosa, para muitos, o real sentido do natal não está mais na pessoa de cristo, curiosamente está mais associado a uma aproximação da família que não precisa necessariamente está fundamentada com uma raiz  religiosa. 
  2. O segundo ponto é a caracterização do Natal como uma comemoração de encerramento de um ciclo. Seguindo a mesma linha de pensamento quanto ao que foi tratado anteriormente, o Natal é visto como um ponto de referência para se estacionar e refletir sobre o ano que está indo embora, se reunir com a família e com os amigos para encenar uma peça teatral já bastante conhecida como a ceia.
  3. Por último, está os que ainda vêem o natal como tempo de agradecimento ao verdadeiro aniversariante.


 Os pontos aqui tratados não tem a finalidade de criticar ou rotular o sentido Natalino que cada um possui!!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação de comentários:
O autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.